Momentos como aquele que atualmente vivemos testam-nos as capacidades. Sempre me questionei como teria sido possível os meus avós terem sobrevivido ao medo, angústia, privações, incerteza e vulnerabilidade da segunda guerra mundial. Ao ver as imagens dos raids aéreos, dos sacos de areia em frente à Igreja de Sta. Cruz em Coimbra, ás filas para o racionamento de mantimentos, questionava-me … mas como?! Sobreviveram. Só isso. Nem mais nem menos.

Tal como nós (nem todos infelizmente) ,sobrevivemos ás crise de 2008 e 2013 e sobreviveremos à do Corona Vírus. Sim, aqueles que sobreviverem, um dia também não terão muito mais a dizer aos netos que isto mesmo. Por isso não me choca tanto que isto esteja a acontecer, seja por causa natural, ou premeditada, pois há muito que interiorizei que existe mal suficiente no mundo para preparar coisas destas. Choca-me muito mais o número de pessoas que perante estes tempos de incerteza e vulnerabilidade, se deixam levar no turbilhão da informação maldosa, do diz que disse do covidizer e envoltos no seu pânico, procuram incessantemente levar outros consigo para esse lado negro da história.

Serão os mesmos que há muito pouco tempo se insurgiam contra o aparecimento dos Bolsonaros e dos Trumps. Pois bem… eles apareceram exatamente assim. Da propagação do medo, da preguiça em verificar os factos e do prazer em incendiar os ânimos dos que nos estão próximos.


Cabe-nos a nós escolher o lado em que queremos estar.


Da próxima vez que fores partilhar algo que te causou medo e insegurança, pensa que o próximo Bolsonaro, Ventura ou Trump será eleito também por ti.


E já agora, quando fores ao supermercado, não te esqueças de comprar um chocolate ou uma flor e oferecê-la á pessoa que te atende.

Até lá …. #KeepDreaming

Texto da Autoria de Rui Loureiro Mentor do Projeto Sonhadorismo